Urias Sérgio

Vivo da esperança de ver o soerguimento da ética e da razão e isso dá-me forças de continuar lutando

Textos

LASCÍVIA
Lascívia

Ainda que inclinado a me curvar a teus encantos
o corpo em fogo, a respiração ofegante
e o rubor na face a denunciar claramente
a todos que se me olham, o  meu desejo arfante.

Ainda que a queimar minhas  entranhas
na ânsia farta e forte de abraçar-te,
ávido a acariciar e beliscar teus túrgidos montes ,
mordiscar teus lábios e me saciar em teus beijos,

Ainda que me inebriando com teu cheiro
levemente disfarçado pelo  chanell
E com a forma perfeita de teu semblante
que tal  se me pareces quase nua, qual sob tênue véu.

Oh! Vênus terrena,  deusa sublime do amor
que me embriaga, como se ao sabor de altas vagas,
no mar revolto e forte, em frágil escuna estivesse,
a mercê das tormentas e da malfadada sorte!

Resisto ainda assim, à essa lascívia
que me alucina e entorpece!
Debilitado e trôpego, respiro fundo,
cerro os punhos e reticente,
com um esforço extremo e profundo
dou -te as costas e me afasto ... lentamente!

Urias Sérgio de Freitas
Urias Sérgio
Enviado por Urias Sérgio em 12/09/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Urias Sérgio de Freitas - site urias@recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras