Urias Sérgio

Vivo da esperança de ver o soerguimento da ética e da razão e isso dá-me forças de continuar lutando

Textos

ROSA SECA
SONETO

ROSA SECA

A  linda e sedosa  rosa vermelha que colhi,
E que eu guardava na gaveta do tempo
Terminou secando, perdendo o brilho
E na referência de ti, todo meu alento...

Foi-se um belo sonho, uma doce quimera,
Que transformou essa minha vida um dia,
Secou para sempre uma linda flor que era
Símbolo de luxúria  e amor,  minha fantasia.

Amei-a qual rosa vermelha... minha preferida,
Dando colorido a meus momentos fugidios,
De fulgurantes tons  e  pensamentos vadios,

Vazios. Mas, como se  uma verdadeira flor fosses,
O cultivo, em solo seco, sem cuidados, deu forma,
A uma paixão disforme, murcha, como essa rosa!

Urias Sérgio de Freitas
Manaus, 26/08/2017
Urias Sérgio
Enviado por Urias Sérgio em 26/08/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Urias Sérgio de Freitas - site urias@recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras