Urias Sérgio

Vivo da esperança de ver o soerguimento da ética e da razão e isso dá-me forças de continuar lutando

Textos

ESPERA-ME
Ribombam em meus ouvidos
Esses balbucios incontidos
De meus próprios murmúrios
Sofridos, como se estertores
Fossem, ao ler os apelos que a
saudade, tão forte, te revela...

E, intempestivamente, depois de
um longo silêncio, calada e inerte,
Transferes magoada, qual irado
pintor, da aquarela a uma tela,
Fortes traços de ocaso lasso,
Como se assim realidade o fosse.

Mas, não ouse! Assim não o é.
O sabor de seus cálidos lábios,
Nesse beijo apaixonado, permanece.
E nada foi roubado, foi-me dado!

Sim, com emoção, no fervilhar de
nossos próprios sentimentos soltos,
fugidios...por alguns momentos,
E que desvencilhados,dos grilhões
Já a tanto tempo aprisionados,
Explodiram na ânsia desse desejo
Correspondido, por muito tempo
Esquecido, revigorados pela paixão.

Mas nos contivemos, por que?
Breve, lá estarei novamente,
Nessa estrada de luz, a reviver essas
Saudades que me alimentam,
E se manifestam constantemente.
Ávido por outro beijo ansiarei,
Na esperança de tudo recomeçar!
Urias Sérgio de Freitas
Urias Sérgio
Enviado por Urias Sérgio em 21/04/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria Urias Sérgio de Freitas - site urias@recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras